Perguntas Frequentes

Otoplastia (Cirurgia de orelha em abano)

P: Tenho medo de morrer durante uma cirurgia de orelha em abano. Há risco na cirurgia?
R: Raramente a cirurgia de orelha determina sérias complicações ou risco de morte. O risco de ocorrerem eventos adversos é parte inerente à vida, presente em algumas profissões, viagens de avião ou automóvel e à alguns estilos de vida. O importante em qualquer ato cirúrgico é adotar medidas para reduzir ao máximo este risco. Por quanto tempo persiste o resultado?

P: A otoplastia deixa cicatrizes?
R: A cicatriz desta cirurgia é muito pouco visível, por localizar-se atrás da orelha. Além do mais, como se trata de região de pele muito fina, a própria cicatriz tende a ficar “quase imperceptivel”. Mas nunca podemos dar garantias quanto à qualidade de cicatrizes, pois a cicatrização depende de fatores próprios de cada paciente.

P: A otoplastia deixa cicatrizes?
R: Crianças: anestesia geral. Adultos: local com sedação.

P: Quanto tempo demora o ato cirúrgico?
R: Entre uma e duas horas. Em alguns casos este tempo é ultrapassado. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.

P: Qual o tempo de internação?
R: Varia de 8 horas a 1 dia de internação.

P: Como é o curativo?
R: Faz -se a proteção da cicatriz com curativos pequenos. Protege-se a orelha (principalmente em crianças), nos primeiros dias, com uma espécie de touca, a fim de evitar traumatismos locais. Depois recomenda-se o uso das faixas tipo “ballet” ou “tênis”.

P: Quando são retirados os pontos? há dor?
R: Em torno do 7°-8°. dia. Não existe dor na retirada.

P: Em quanto tempo se atingirá o resultado definitivo?
R: Assim que se retira o curativo já teremos em torno de 80 % do resultado almejado. Após 3 meses o resultado será definitivo.

P: Existe a possibilidade de “voltar o problema do abano” após a cirurgia?
R: Na grande maioria dos casos, o resultado é definitivo mas as recidivas podem ocorrer. Algumas orelhas podem “ceder” e apresentar um grau de abertura um pouco maior do que no pós-operatório imediato. Convém salientar que uma leve assimetria poderá ocorrer, pois, mesmo as pessoas não operadas e que tenham orelhas normais, não apresentam simetria absoluta.

P: Em que posição deverei dormir, nos primeiros dias?
R: Sempre com a cabeça reta evitando, inicialmente, o contato da orelha com o travesseiro.

P: Quando poderei tomar sol?
R: Geralmente após o 3º dia pós-operatório, não existe qualquer inconveniente em se expor ao eventual sol da rua. Entretanto, para exposições longas (praias, banhos de sol), aconselha-se aguardar um período mínimo de 30 a 45 dias e utilizar um creme foto-protetor FPS > 50 nas cicatrizes.

P: Quando poderei retornar aos meus exercícios?
R: em cerca de 30 dias.