Acne Vulgar

Acne é uma das doenças de pele mais comuns. Esta doença não é contagiosa, sendo também chamada de Acne Vulgar ou Juvenil. Trata-se de uma afecção que atinge a unidade pilo-sebácea (pêlo e glândula sebácea). A acne vulgar é uma doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. Por este motivo, as lesões normalmente iniciam-se na puberdade, afetando aproximadamente 80% dos adolescentes. Apesar de sabermos que na acne vulgar a idade de comprometimento na maior parte dos casos seja o período da adolescência, não é raro que o problema se estenda até os 30 anos ou mais, principalmente em mulheres, constituindo a Acne da Mulher Adulta. Em alguns adolescentes, as lesões ocasionadas pela acne vulgar são mínimas, quase imperceptíveis. Em outros, as lesões tornam-se mais evidentes e polimorfas, de intensidade variável, perturbando a qualidade de vida e desencadeando ou agravando problemas emocionais e de autoestima, que podem se tornar extremamente graves. Na ausência de tratamento adequado, as lesões podem persistir até o final da adolescência. Eventualmente, lesões isoladas podem-se manter durante muitos anos. Por falta de tratamento ou tratamentos inadequados, podem deixar manchas e cicatrizes inestéticas.

Acne vulgar é uma doença de pele que causa cravos e espinhas

Os cravos e as “espinhas” ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e a obstrução da abertura do folículo pilo-sebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e comedões fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das “espinhas”.

A acne vulgar manifesta-se principalmente na face e no tronco, áreas do corpo com grande quantidade de glândulas sebáceas. Os sintomas variam de pessoa para pessoa, sendo, na maioria da vezes de pequena e média intensidade.

O quadro clínico pode ser dividido em cinco graus. A acne é classificada como acne não-inflamatória (sem sinais inflamatórios) quando apresenta somente cravos (grau I) e acne inflamatória (graus II, III, IV, V).

ACNE GRAU I: apenas cravos, sem lesões inflamatórias (espinhas). Apresentam cravos brancos (comedões fechados) ou cravos pretos (comedões abertos.

ACNE GRAU II: Apresentam-se cravos (comedões), pontos vernelhos (pápulas) e “espinhas” (pústulas).

ACNE GRAU III: Apresentam-se cravos, “espinhas” e lesões maiores, mais profundas, dolorosas e inflamadas, podendo apresentar saída de pus (cistos).

ACNE GRAU IV: cravos, “espinhas” e grandes lesões císticas comunicantes (acne conglobata), com muita inflamação e aspecto desfigurante. Representa forma grave de acne, em que ao quadro anterior, associam-se cistos com saída de pus numerosos e grandes, formando abscessos e fístulas que eliminam pus. Geralmente, esta forma aparece no rosto, pescoço, regiões anterior e posterior do tórax.

ACNE GRAU V: Também chamado de acne fulminans. Quadro raro e grave. O paciente apresenta febre, queda do estado geral, dor em várias “juntas” (articulações), alterações ósseas, dores musculares, perda de apetite. Pode ocorrer necrose das lesões (morte do tecido). O paciente deve ser tratado rapidamente, pois há risco de seqüelas (marcas/cicatrizes) graves, desfigurantes e permanentes.

A beleza ao seu alcance